Terapia de casal – Como funciona

Compartilhar

Quando temos um relacionamento amoroso não há duvidas que torna o dia a dia mais gostoso e divertido. Contudo, a convivência pode se transformar numa árdua missão. Afinal, compartilhar a vida com alguém e ao mesmo tempo manter a individualidade, de forma harmoniosa, é um grande desafio.

Quando acontece do diálogo entre o casal já não é dos melhores, vale a pena recorrer a um intermediador: A terapia de casal.

Veja também:

O que é uma terapia de casal?

terapia_de_casal

A terapia de casal trabalha a relação de duas pessoas e não os problemas individuais de cada um, mesmo que esbarre nas questões que envolvem um ou outro durante o processo. O tratamento busca levantar os reais problemas, contribuir para que ambos se expressem e tratar suas expectativas e frustrações com o relacionamento. Sendo assim, o terapeuta não ocupa o papel de juiz, ele é um facilitador para o casal.

Qual é o momento para começar uma terapia de casal?

Saiba que não existe uma hora certa para começar a terapia de casal. O fundamental é reconhecer a insatisfação e evitar que as crises se tornem crônicas. Caso os problemas se arrastam há muito tempo, a taxa de sucesso dessa terapia diminui. Muitos casais adiam por causa da resistência dos homens, de modo que vários têm preconceito e não pensam em consultar terceiros.

terapia_de_casalQuem procura a terapia de casal deve saber que o objetivo do tratamento não é evitar o divórcio. A proposta é ajudar o casal a encontrar uma forma harmônica de se relacionar, mas não há mágica. Portanto, assim como existe a possibilidade de um salto qualitativo no relacionamento, nada impede que os envolvidos cheguem à conclusão de que serão mais felizes separados. Nesse caso, mesmo que a dor seja inevitável, é provável que o fim se mostre menos traumático, pois ambos puderam se expressar e refletir antes.

Problemas comuns que levam a uma terapia de casal

Alguns casais sofrem de tédio, outros casais estão cansados de tanta briga. A briga, em si, não é ruim, porém a forma de brigar é que importa. Quando há desrespeito, os envolvidos mal se ouvem e só querem atacar o outro, aí, sim, a briga é destrutiva e não leva a nada.

Algumas questões da comunicação e da sexualidade podem entrar em pauta e as fases de mudança, como a chegada dos filhos por exemplo, testam os casais. Muitas mulheres reclamam que o marido não assume responsabilidades com a casa e as crianças e quando o marido assume a sua responsabilidade e faz a sua parte, a relação melhora.

A questão de infidelidade conjugal também leva muita gente ao consultório. Uma terapeuta conta que, certa vez, atendeu um casal que se dava muito bem na cama e fora dela até ambos descobrirem que já tinham sidos traídos pelo parceiro. Numa situação dessas, não cabe ao terapeuta impor uma “atitude certa” aos pacientes, e sim criar condições para que eles definam os próprios desejos e refaçam contratos.

É importante lembrar que o prazo da terapia de casal varia muito, mas a média é de seis meses, com sessões semanais.

Assista ao vídeo

  • Terapia de casal com psicanalista Antonio Belamoglie no Programa Meu Casamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *